quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Audiência Pública sobre a educação em Duque de Caxias, com o tema: Educação começa em casa e a infraestrutura das escolas públicas na cidade.

Boa tarde amigos e amigas!
 Por aqui de novo, trazendo para vocês que não estiveram na Audiência Pública que aconteceu na segunda-feira dia 14 de setembro de 2015, numa manhã chuvosa e fria de final de inverno na cidade, com a presença dos profissionais da educação, sociedade civil, pessoas ligadas aos movimentos sociais, pais e alunos. Às 9h 38 min. deu-se início a Audiência Pública na Câmara do Vereadores, com a apresentação dos hinos nacional e da cidade de Duque de Caxias. Seguiu-se as atividades com a apresentação dos membros da mesa que fizeram as falas iniciais. Fizeram parte da composição da mesa, respectivamente, o Deputado Federal pelo Rio de Janeiro Celso Pansera, o SubSecretário de Fazenda Jair Nunes Alves, o estudante e presidente da União dos Estudantes do Rio de Janeiro Rafael, a Professora Rose Cipriano representando o Sepe sindicato da categoria, a Vereadora Fatinha, relatora e presidente da comissão permanente de educação da cidade, a Vereadora Juliana do Táxi, o Professor Nivan, o Vereador Thiago Barreto, o secretário de Educação, Professor Marcos Villaça e o vereador e Coronel Ubiratan. Adiante, passaram-se aos trabalhos para a homenagem à diretora da escola que foi o primeiro lugar no IDEB na cidade, com a entrega da medalha Paulo Freire. Falando do índice da educação básica, o IDEB, a fala da professora Maria Cândida da Escola Municipal Barro Branco, a única escola da rede municipal que não realiza esse exame, ela e muitos de seus colegas educadores discordam do modo como é realizado este tipo de avaliação nas escolas, de modo que às atenções de estudos e conteúdos são quase todas voltadas para a memorização e preparação para às provas, o que é notado pelo péssimo ensino ministrado pela rede. Concordo com a opinião da professora Maria Candida e já presenciei este tipo de comportamento por muitos profissionais das escolas que realizam o exame, onde é feito um tipo de treinamento para a prova e, dessa maneira não é satisfatório o aproveitamento e assimilação de conteúdos fundamentais para o aluno. Dando continuidade as ações, a vereadora que é a relatora da comissão permanente de educação falou do tema da audiência, pediu aos presentes que mantivessem a ordem em suas colocações, sem fazer usos de ofensas e ataques pessoais para manter o bom andamento da reunião. Assim, foram abertas as inscrições das pessoas presentes para fazer o uso do tempo de 2 minutos para elaborarem perguntas e observações à cerca da educação na cidade. Fiz a minha inscrição e, mais 12 pessoas, fizeram o mesmo. Em alguns instantes da reunião, a relatora e presidente da comissão, interviu nas falas dos inscritos, para lembrar que não deveríamos fugir do assunto da audiência, o que de fato não aconteceu em nenhum momento, mas, como a realidade das escolas é muito precária, ficou claro o incômodo dos componentes da mesa que fazem parte do atual governo municipal, afinal, não há avanços significativos na educação nos últimos três anos do atual governo, então, considero que foi uma ótima oportunidade para que pudéssemos fazer as nossas observações e denúncias sobre o descaso que se encontram as escolas públicas em Duque de Caxias, onde nenhuma escola foi construída em 3 anos, nenhuma creche, não há a entrega de material e uniformes suficiente para toda a rede, não há água em várias unidades, falta de aula devido aos mais variados problemas e, a cada ano, a realidade não tem sido animadora.
Passado o momento das falas e denúncias dos inscritos, passamos para as respostas do secretário de educação da cidade, professor Marcos Villaça, que respondeu a maioria dos questionamentos de maneira genérica e sem ações concretas que podemos acompanhar , deixando promessas de transparência em sua gestão e abertura de todas as contas públicas no site da SME, reconheceu que está péssima a infraestrutura e que tem muito trabalho para ser realizado, disse haver ações em andamento e que, todas as solicitações estarão sendo apuradas e respondidas conforme as soluções definidas pela equipe da Secretaria de Educação. Assim, depois de quase 4 horas de debates, denúncias e respostas que nem sempre contemplaram às questões levantadas, encerrou-se a 1ª Audiência Pública de 2015 convocada pelo poder legislativo de Duque de Caxias, RJ, Brasil.

Abaixo algumas imagens deste importante momento para a educação pública em nossa cidade.

 Fazendo a minha fala de 2 minutos...  
A composição da mesa...   
Meu filho João Pedro junto com a gente na audiência, a aula dele hoje foi na Câmara Municipal! Naty Pereira, amiga, Assistente Social do Instituto FormigaKarioca.


Paz e Bem!!

Até breve!

Um comentário:

  1. Estamos do tempo do quanto pior melhor, autoridades sem nenhum comprometimento, por isso resposta vazias.

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião!