terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Nota dos profissionais da Educação Municipal de Duque de Caxias RJ. Colaboração: Debora Rodrigues

MANIFESTO CONTRA O DESMONTE DA EDUCAÇÃO MUNICIPAL DE CAXIAS

A Rede Municipal de Educação de Duque de Caxias vem sofrendo sérios ataques deste governo. A não convocação de Concurso Público e a política de contratações desencadearam mudanças profundas, comprometendo a qualidade do ensino para os filhos dos trabalhadores deste município. Em agosto, sob o argumento de estar “cumprindo ordens do Prefeito”, a SME aglutinou turmas no meio do ano, não respeitando o trabalho pedagógico que já vinha sendo realizado, superlotando turmas e ao final do ano “tentou” reduzir o quadro de profissionais das escolas através de uma portaria que diminuía e retirava orientadores educacionais das escolas bem como as aulas de informática educativa e ensino religioso. A resistência de muitos profissionais que realizaram atos na porta da SME com a comunidade e o SEPE, assim como as cobranças constantes do sindicato, fizeram com que naquele momento essa portaria fosse revogada. Mesmo assim, os profissionais da Sala de Leitura tiveram sua carga horária para planejamento reduzida e aumentou-se o número de turmas a ser atendida.

Em janeiro, durante o período de férias dos profissionais, a SME volta a atacar as conquistas históricas de anos de lutas dessa categoria por uma Educação de qualidade. As aulas de informática educativa e ensino religioso foram suprimidas de várias escolas e muitas perderam até os dirigentes de turno, uma função essencial para o pleno funcionamento das escolas. Outras perderam os professores responsáveis pelas bibliotecas, espaços que correm o risco, desse modo, de se tornarem meros depósitos de livros. Muitos profissionais da educação, em plenas férias, tiveram que ser relotados em outras unidades escolares por terem se tornado excedentes em suas próprias escolas de origem. Não sabemos se o lotacionograma foi alterado e quando questionamos a SME, a resposta foi que estão "trabalhando um para cada escola". Ou seja, fica a critério da SME escolher quantos e de que forma serão organizadas cada escolas, sem uma determinação padrão que oriente toda a Rede e garanta a igualdade e o equilíbrio na garantia da distribuição dos profissionais na mesma.
Na SME, ninguém se opõe às ordens do Prefeito. A secretária parece cumprir função meramente cerimonial e as subsecretárias seguem à risca as determinações do chefe da administração municipal - inclusive indo às escolas ameaçar professor - que tem como único objetivo economizar recursos com a educação, que é o setor de maior verba vinculada, e continuar abrindo caminho para mais contratos. Hoje a SME sofre ações diretas do prefeito, não tendo autonomia em sua atuação político administrativa. As questões pedagógicas construídas e acumuladas durante muitos anos, estão sendo postas de lado, desconsideradas e desvalorizadas, como se nenhuma importância tivessem no processo ensino aprendizagem.
Para completar o quadro desastroso de mais um início de ano letivo, as UEs iniciaram as aulas mais uma vez sem material didático e com salas de aulas pequenas, apertadas e com temperaturas insuportáveis. As licenças para estudos - conquistas de nossas lutas - estão congeladas, segundo a SME, também por ordem do prefeito. Não houve licitação pública para o fornecimento da alimentação escolar 2014, onde parece que a Prefeitura continuará terceirizando todos os serviços e, o que é pior, agora com duas empresas. O Secretário de Fazenda, durante audiência pública sobre a contração de funcionários da Secretaria de Saúde, anunciou que haverá reformulações do Plano de Carreira dos Servidores desta prefeitura, e é claro, para melhor não deve ser!
A nossa rede não pode assistir a esse ataque ao projeto de escola pública que acreditamos. Defendemos nossas conquistas históricas e não as deixaremos irem para o "ralo" em um único ano de governo, que vem demonstrando não ter compromisso nenhum com a educação pública da cidade e nem com a sua própria palavra.
Não nos resta outro caminho a não ser ir à luta e às ruas, denunciar para todos o absurdo que está sendo feito com a educação pública municipal de Caxias. Teremos em 2014 muita luta pela frente, em defesa da escola pública de qualidade, pela manutenção dos nossos direitos e por novos avanços.

PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DA REDE MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS - Fevereiro de 2014


Fonte: Facebook
Acesso em 25/02/2014 às 20h16min.

Um comentário:

  1. Parabéns pela clareza na exposição das situações que envolvem as escolas e não ficamos sabendo... O discurso oficial sempre esconde verdades do cotidiano. Continue nos informando sobre o que acontece na escola... Grande contribuição, grande exercício de cidadania!
    Abs
    Ivan

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua opinião!