domingo, 1 de julho de 2012

Avaliações da faculdade...


Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Faculdade de Educação da Baixada Fluminense
Professora: 
Aluna: Dayse Alves                        Turma:5            1º período
Disciplina: Perspectiva Histórica das Ideias  e Práticas Pedagógicas I


        A Educação na Antiguidade Hindu

     Por meio da  liderança de duas das primeiras religiões do mundo,o bramanismo e o budismo,a educação foi realizada pela religião e pelos cultos religiosos,onde era entendida como privilégio para os  “especiais” que faziam segundo sua tradição, parte do cérebro do deus Brahma .
     Desde a Antiguidade o povo  Hindu teve forte proximidade com a religião. Foi invadida por arianos e  o seu povo não demonstrou resistência,dado origem por imposição dos superiores a divisão da sociedade em castas,  onde a ignorância e a imposição do poder criou o dogma da separação das pessoas segundo seu nascimento, divididas pelos Vedas (escrituras Sagradas do Hinduísmo) como uma organização espontânea das pessoas e seus talentos.
    Os arianos formaram uma nova sociedade Hindu, criando hierarquias políticas e religiosas  das quais os dravidianos não tinham acesso . O povo antigo foi escravizado e organizado   em cartas inferiores –os dravidianos eram totalmente submissos e não tinham a possibilidade de mudar de classe social. 
A civilização Hindu é uma das sociedades mais antigas do mundo,seu território hoje ocupado pela Índia,ficou distanciado dos demais povos e se manteve economicamente pelo comércio de especiarias até a era da Idade Média.
A educação  nessa sociedade esteve desde o princípio ligada a religiosidade,onde acreditava-se que poucos mereciam o privilégio do acesso aos estudos.As preocupações com educação apareceram nos livros sagrados,que ofereciam regras e ideais de conduta,além do enquadramento das pessoas nos rígidos sistemas religiosos e morais.
Talvez a civilização Hindu  já estivesse em declínio quando ocorreu a invasão ária,e isso somente acelerou a decorrata .Isso pode explicar o porquê de os Vedas considerarem os Dravídicas  como bárbaros e primitivos.Sabemos,entretanto que a língua dos Dravidas do sul era falada antes da invasão,indicando a coexistência pré-ariana da escrita dravidiana e do Indus.Talvez com a invasão ária,muitos dravidas tenham migrado pra o sul,explicando a presença de tal língua fora do vale do Indus.
No século VI a.c;o período Védico é marcado por intensas transformações nos campos religiosos e intelectual.É nessa época que notamos a profunda transformação empreendida por dois grandes líderes religiosos:Siddharta Gautama e Mahavira.Ambos pregavam uma prática religiosa pelo ascetismo e a constante reflexão espiritual.Siddharta Gautama foi responsável pela criação do Budismo e Mahavira o percussor do Jainismo.”
A sociedade era dirigida mais pelos sacerdotes do que pelos reis,pois,aqueles que intercediam com os deuses,ditavam as regras sociais e também assuntos legais,como posse de terras.A ordem social que reflete a assimilação dos Ários e a supremacia dos sacerdotes se consolidou no sistema de castas,que sobrevive até hoje de certa forma.O controle sobre a ordem social foi mantido por regras estritas destinadas a assegurar a posição do Brãmanes,os sacerdotes.Foram elaborados tabus concernentes a casamentos,dietas e convívio social.
As castas eram divididas da seguinte maneira:
         Brâmanes: sacerdotes que representavam a maior autoridade social e acreditavam ser parte do cérebro do deus Brahma.
         Xátrias: guerreiros que ficavam encarregados de vigiar as castas inferiores e lhe punirem com severos castigos, como submetê-los aos mais humilhantes trabalhos forçados. Também tinham grande força política.
         Vaixias: comerciantes e artesãos que movimentavam a economia local.
         Sudras: servos, geralmente dravidianos, que serviam aos superiores.
         Párias: considerada a escória da sociedade, estavam relegados aos piores trabalhos forçados.


         EDUCAÇÃO HINDU

“A Gramática foi a disciplina que serviu de base para a educação intelectual dos hindus, não a meramente alfabética, reduzida à leitura e à escrita, mas fonética, isto é, orientada para a análise dos sons que constituem a linguagem. A veneração dos hindus pela linguagem dos Vedas, que consideravam divina, fez com que os mesmos se esforçassem para conservar a pronúncia exata dos seus hinos e, para preservá-la guardavam listas de palavras antigas, com a respectiva pronúncia correta. E foi assim que teve origem a mais remota e perfeita gramática, que deu lugar à formação da gramática moderna que parte do estudo das raízes dos vocábulos e das leis fonéticas que presidem à sua composição e modificação. Faziam parte da educação intelectual dos hindus os provérbios e as fábulas. Os hindus cultivaram a Lógica, a Álgebra e a Astronomia. Recebemos deles o sistema métrico e o jogo do xadrez.
As escolas elementares hindus eram numerosas, porém, não possuíam organização oficial. Os discípulos se reuniam em torno do mestre, ao ar livre, à sombra de uma árvore e, quando chovia, sob uma tenda. Aí aprendiam a escrever, primeiro sobre a areia e, em seguida, sobre folhas de palmeiras ou de plátano. O ensino era realizado por memorização, os alunos repetiam em voz alta o que lhes era ditado pelo mestre. Quando as classes eram numerosas, era comum empregar como auxiliares de ensino o alunos mais adiantados. Daí a origem do ensino mútuo ou  de monitoria.
O ensino era feito segundo certas fórmulas rituais.
O mestre pertencia à casta dos brâmanes e era objeto de profunda veneração. Não recebia remuneração dado o caráter espiritual da sua obra. Os alunos podiam oferecer presentes ao mestre. O ensino revestia-se de uma orientação essencialmente religiosa. Os alunos eram instruídos oralmente, para em seguida, estudarem nos livros sagrados; os Vedas ou o catecismo budista. A moral era ensinada por meio de provérbios e de fábulas. Outras matérias: leitura, escrita, aritmética.
O ensino superior era limitado aos brâmanes e tinha por objetivo o estudo dos Vedas e das suas ciências auxiliares. Para aprender cada um dos Vedas eram necessários 12 anos, e para os quatro, 48 anos.
Os hindus não consideram a ciência como um valor em si mesma, mas sim como um meio para conseguir a união com a divindade. O jovem devia aprender a sabedoria, o varão praticá-la e o ancião olvidá-la. A vida intelectual do hindu começava nas intrincadas análises da gramática para terminar na síntese suprema do misticismo.
A educação elementar hindu era detentora de graves defeitos: rotina excessiva dos mestres, cultura exclusiva da memória, negligência na educação das mulheres e das crianças, preconceito extremado contra a educação dos serviços e dos párias, desinteresse pela formação do caráter,preocupação exclusiva pelo cultivo da inteligência.”
 

A vida do indiano é dividida em quatro fases, que ilustram bem a sua procura de conhecimento de aperfeiçoamento espiritual:
A infância.
A juventude (completamente dedicada aos estudos).
O tempo de se constituir família (pela tradição o casamento é arranjado pelos pais, mas esta tradição está caindo em desuso com os tempos modernos).
A velhice (dedicação à realização espiritual).
A cultura indiana atribui grande importância ao conhecimento, e um grande número de indianos tem escolaridade e fala mais de uma língua, apesar da grande pobreza existente, consequência do elevado número populacional.
A Índia é um país devoto à espiritualidade e ao conhecimento e a importância atribuída à religião deve-se ao fato de que o propósito da vida na terra é sair da escuridão da ignorância e chegar à luz do conhecimento.







    Contribuições Hindus da Antiguidade

“Contrariamente à percepção popular de que o Hinduísmo é uma religião mística exclusivamente interessada com conceitos transcendentais de prática espiritual, o Hinduísmo tem sido uma fonte para vastas contribuições à civilização global ao longo de mais de cinco milênios. Como uma prática religiosa que aspira entender os mistérios eternos da existência, o Hinduísmo nunca foi um dogma regressivo ou fechado satisfeito com as interpretações historicêntricas de um livro sagrado. De fato, os Hindus exploraram os mistérios da ciência, matemática e astronomia para se deleitarem na glória da Criação. Notáveis avanços na metalurgia, medicina, gramática, música e dança, entre outras disciplinas, vieram de primordiais praticantes de Hinduísmo e as suas escrituras estão repletas de observações práticas e esotéricas. Algumas contribuições perenes do Hinduísmo:

Educação - A primeira universidade em Takshashila em 700 A.C..
Matemática - O conceito de zero (200 D.C.). O moderno sistema numérico e decimal (300 A.C.). O valor de pi (?) (497 A.C.). Área de um triângulo (476 D.C.). Equação quadrática (991 D.C.).
Astronomia - Conceito de planetas no sistema solar que giram à volta do Sol (500 D.C.). A Terra como sendo redonda, girando em torno de um eixo e a gravidade como uma força de atração pela Terra (500 D.C.). Conceito de Tempo com 365 dias num ano.
Metalurgia - Aço, ferro e ouro descobertos em escavações arqueológicas datados de 3000 A.C..
Medicina - Ayur Veda, um sistema de medicina alopática, holística e agora  redescoberto, originou em 1000 A.C.. Um texto detalhado chamado Charaka Samhita inclui anatomia, fisiologia e vários tratamentos que usam várias plantas, frutos e ervas.
Cirurgia - Shushruta Samhita (600 A.C.) é considerado o primeiro texto detalhado com descrições embrionárias de procedimentos e instrumentos cirúrgicos que, com modificações, são conceitualmente usados hoje em dia.
Literatura - O Sânscrito desenvolveu-se como a mais antiga linguagem sistemática no mundo. O Ramayan (anterior a 3000 A.C.) e os 100,000 versos do Mahabharata (300 A.C.) são épicos veneráveis que continuam a inspirar Hindus hoje.
Artes - A altamente sofisticada música clássica indiana encontra as suas origens no ama Veda, um dos quatro Vedas originais. As quatro formas de dança clássicas da Índia encontram as suas origens e inspirações na tradição religiosa Hindu.
Yoga e Meditação - Estas são, talvez, as mais reconhecidas contribuições espirituais do Hinduísmo para a humanidade. Hatha Yoga, o sistema de exercícios de purificação largamente praticado, é apenas uma das disciplinas do Yoga que encorajam o desenvolvimento espiritual, físico e intelectual. Meditação, um processo que acalma e foca a psique, é parte integral da prática yoguica e reconhecida com o yoga pelos seus efeitos salutares ao bem estar pessoal.

Enquanto invasões contínuas assolam o subcontinente indiano – desde Alexandre o Grande e as atrozes barbáries das conquistas Islâmicas ao mais recente fracassado colonialismo britânico – o último milênio viu o nadir da inovação Hindu. Porém, o século XX e XXI marcaram um ressurgimento à medida que os Hindus na diáspora, especialmente nos Estados Unidos, fortalecem as suas terras adotivas com contribuições na tecnologia, medicina, engenharia, moda e artes S entre muitas outras discipl
inas .”
 
                                                                                                                                                                                                     



Fonte:


 www.glocalyouth.net     acesso 12/03/2012





 www.artigos.com/artigos/humanas/educacao/...educacao...e.../artigo/ acesso 13/04/2012  
www.artigos.com/artigos/humanas/educacao/...educacao...e.../artigo/ acesso 13/04/2012  
  
 


Só para constar...se quizer, pode comentar.










Postarei também avaliações que realizo com meus alunos do 5ºano do ensino fundamental.

                                          Dayse Alves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião!